Páginas

quinta-feira, 26 de junho de 2008

É só o amor....

É só o amor....


Ontem estava eu, uma flamenguista desde criança e Flamengo até morrer, vendo o jogo do Fluminense contra o LDU, pela Libertadores, e me peguei gritando e comemorando o gol que empatou a partida em 1x1. Que estranho!!!

Daí no intervalo passou que o gol de barriga estava fazendo 13 anos. (Pra quem não lembra, aí embaixo está o vídeo). Aí eu tive que rir de mim mesma, porque lembro que nesse dia estava assistindo o jogo num clube aqui perto que sempre coloca telão e tal, Flamengo ganhando, falta luz e o Fluminense empata o jogo, e quando volta a luz, o fatídico gol de barriga. Detestei o Renato por anos e anos. No ano do centenário do meu Mengão e ele vem colocar aquela maldita pança na bola. Aff!!!



E após essa lembrança nada boa, fiquei pensando como a gente muda, né? Eu que sempre torci contra qualquer outro time carioca que não seja o Fla agora torcendo pelo Flu (também é o único time que abri exceção - o resto eu seco a pimenteira mesmo). Ironia do destino? Sinais do tempo? Amadurecimento? Surto? Insanidade? Nada disso. Como já cantava o meu amado Renato Russo:


"É só o amor.. é o só o amor... que conhece o que é verdade...
O amor é bom, não quer o mal.
Não sente inveja ou se envaidece..."


Exatamente isso: Amor por Hugo (meu sobrinho-afilhado-espetáculo), que é tricolor e só tinha minha companhia para assistir o jogo. Não que vibrar junto?
Freud explica.
Ou não!!!


Beijosssssssss

Nenhum comentário: