Páginas

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Autores preferidos: Nicola Yoon

Tudo e todas as coisas: Maddy tem uma doença rara, a IDCG, que a faz ser alérgica a tudo. Ela vive com a mãe, sem jamais de sair casa. Seus contatos diários são com a mãe, que também é sua médica, e Carla, sua enfermeira desde sempre, e levava uma vida rotineira até que Olly se muda, junto com sua família, para a casa ao lado. E os dois se apaixonam. E a vida de Maddy nunca mais foi a mesma. Livro gostoso de ler, divertido, fofo... Adorei!

Sinopse: "Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."



O sol também é uma estrela: Natasha é jamaicana e mora nos EUA desde os 8 anos ilegalmente, com sua família. No dia que eles vão ser deportados, ela conhece Daniel, um coreano-americano, cuja família também foi pros EUA 'em busca do sonho americano'. Ele e poeta, apaixonado. Ela quer ser cientista, cética. Mas a paixão a 1a. Vista muda os dois de modo definitivo. Se tiver um filme desse livro, Eduardo e Mônica deveria ser a trilha sonora: 'quem um um dia ira dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dixer que não existe razão?'. Ameiiii!!!

Sinopse: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?



Beijosssssssssssssssss
┌──»ʍi૮ђα

domingo, 16 de abril de 2017

Feriadão de Páscoa

O Feriadão de Páscoa pra mim começou na 5a. feira, que foi ponto facultativo escolar. Aproveitei para ir à dentista e fazer minha limpeza anual e passar flúor. Tudo ok.


6a. feira foi aniversário do meu irmão e fizemos um bolinho aqui, só em família.


Os outros dias foram todos em família também, nos curtimos bastante, curtimos nosso pretinho do poder também.


Espero que todos tenham tido uma Páscoa de paz!
Viva! Jesus ressuscitou.




Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Detox

Excelente!  -  texto da professora universitária Ruth Manus, publicado no Estadão.

"Detox vem da ideia de desintoxicar, tirar do corpo tudo o que não lhe faz bem. Louvável, sem dúvida nenhuma. Mas o problema começa quando as pessoas resolvem achar que duas garrafas de suco verde são a milagrosa solução para melhorar suas vidas.

Não adianta comer chia toda manhã se a gente odeia o emprego e já sai de casa com vontade de voltar. Não dá para achar que o corpo vai estar puro se você não acredita no que faz e passa mais de 40 horas da semana ruminando tarefas infelizes. Não adianta beber 3 litros de água por dia quando se está num relacionamento que afundou.

Não adianta colocar linhaça nas receitas quando só se reclama da vida, dos outros, do país, do calor, da chuva, do trânsito. É um círculo vicioso, quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá às coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.

É ilusão achar que a mudança vem de fora para dentro. Que a felicidade e a saúde cabem em embalagens plásticas com códigos de barra. Produtos podem ser ótimos coadjuvantes nessa busca, mas a verdadeira mudança é só o protagonista quem faz.

Detox de dias iguais. Detox de gente ruim. Detox de maus hábitos. Detox de inveja. Detox de relações doentes. Detox de obsessões. Detox de pessimistas. Detox de medo de mudar. Detox de dias desperdiçados. Detox de sentimentos pobres. Detox de superficialidade. Detox de vícios. Detox de viver por viver.

E pra fazer detox na vida é preciso coragem. Coragem para mudar, para arriscar, para romper, para fechar ciclos que há muito tempo deveriam ter terminado."