Páginas

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Livros: junho



Poder extra G: Nina foi pra Buenos Aires curar um pé na bunda e conheceu o fofo do Nico e eles se apaixonaram de forma rápida e intensa. Ela logo foi acolhida pela mãe e pelo irmão dele, Noah. Mas nem tudo foi conta de fadas. Pra agitar tudo, apareceu Marco, ex de Nina; além do pai biológico dela e sua melhor amiga, Marcela, que foi para um entrevista de emprego. Livro divertido e com varias lições de amor próprio e amor ao próximo, livre de preconceitos. Também abordou o tema adoção e transtorno de identidade de gênero de forma simples encantadora. Adorei e super recomendo.

Sinopse: Empoderamento define. É por isso e a partir daí que a história de Nina — e de Nico, de Marcela e de Noah — existe. Nina não é uma mulher de tipos. E não apenas por causa dos seus noventa e dois quilos. Nina tem atitude e amor-próprio. Talvez não nessa ordem, mas quem se importa? Ao namorar Marco, ela achava que estava subindo mais um degrau rumo ao topo de sua autoestima. É claro que alguns sinais lhe alertavam do contrário, só que o ego pode ser bastante ensurdecedor quando nos convém. Depois de se dar conta da farsa que era o seu relacionamento, Nina deixa sua vida em São Paulo e parte rumo a Buenos Aires, para um mês regado a argentinos sedutores e muito doce de leite. Ela só não esperava que o país dos hermanos pudesse lhe trazer muito mais do que uns quilinhos extras.




A última camélia: conta a história de 3 mulheres (Lady Ana, a babá Flora e Addie ), em 2 épocas diferentes, todas ligadas pela Mansão Livinston e pela paixão pelas flores e pela fascínio pela Camélia. Me surprised ok suspense no micro e amei demais, pois adoro descendant mistérios e esse for bom. Sarah Jio é muito incrível e para mim está ao lado da Jojo Moyes na minha lista de autoras de romance preferidas. Perfeito demais!!!

Sinopse: Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o último espécime de uma camélia rara, a Middlebury Pink, esconde mentiras e segredos em uma afastada propriedade rural inglesa. Flora, uma jovem americana, é contratada por um misterioso homem para se infiltrar na Mansão Livingston e conseguir a flor cobiçada. Sua busca é iluminada por um amor e ameaçada pela descoberta de uma série de crimes. Mais de meio século depois, a paisagista Addison passa a morar na mansão, agora de propriedade da família do marido dela. A paixão por mistérios é alimentada por um jardim de encantadoras camélias e um velho livro. No entanto, as páginas desse livro insinuam atos obscuros, engenhosamente escondidos. Se o perigo com o qual uma vez Flora fora confrontada continua vivo, será que Addison vai compartilhar do mesmo destino?



A descoberta da América pelos turcos: Adma é a irmã feia que não casou. Seu pai ficou viúvo e não aguentava mais a marcação cerrada dela e, com a ajuda do seu amigo, resolveu arranjar um marido para acabar com o mau humor da filha solteirona. Jamil, o pretendente interesseiro no comercio e na irmã dela, não contava com o vizinho apaixonado. O livro é totalmente politicamente incorreto, com humor ácido e machista, mas eu ri e gostei, apesar de ter achado confuso no começo.

Sinopse: Em 1992, Jorge Amado lançou a história da chegada do árabe Jamil Bichara à Itabuna, no início do século XX. Foi a sua forma de falar sobre os 500 anos da descoberta da América sem deixar de ser original e regional.






Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Dia 4 (parte 1): Tour Cervejeiro

No sábado de manhã fizemos a rota da cerveja (de novo pela Brocker), também com muita chuva. A sorte foram esses passeios que a chuva não atrapalha em nada. E tava um frio bom, pelas fotos e vídeo dá pra ter uma noção.



Nossa primeira parada foi na cidade de Nova Petrópolis, que tem esse nome em homenagem a Pedro II, filho de Leopoldina, que estimulou a imigração alemã pro Brasil. Fica em torno de 40 min. de Gramado. Edelbrau, fica em Nova Petrópolis. Provamos 4 cervejas: pilsen, Weiss, stout e apa. Lugar lindo. Fundada em 2011. Produz média de 40 mil l por mês.









Nossa segunda parada foi na Rasen, que significa Gramado, em alemão. Fundada em 2006. A fábrica começou a produzir em 2009 e produz, em  média, de 100 a 110 mil l por mês. É a maior cervejaria da região. 




Fizemos degustação de 5 cervejas: pilsen, Weisen, ambar ale, dunkel e uma sazonal: Golden Strong Ale. O saquinho branco vem uma moedinha de chocolate, para a gente comer antes de beber a 4a. cerveja. Aí espera da 30 segundos e bebe a a dunkel. Bom demais!






Nossa terceira e última parada foi na Cervejaria Farol, em Canela. Matheus, o dono do lugar, foi o nosso guia cervejeiro. Produz para consumo no local. O tonel é de Cobre por fora por questão estética, por dentro, aço inox. Capacidade máxima de 10 mil l por mês. Tava tocando me Me and Mcgee, da Janis Joplin na hora do tour. Então já ganhou meu coração e conquistou 5 estrelas na hora. 










Degustação de 5 cervejas: pilsen, Weiss,   stout, red ale e ipa. Entregam a bandeja com 5 copinhos na entrada e é ruim ficar segurando. Lá comemos um típico almoço alemão delicioso, servido somente aos sábados.



Curiosidades que aprendi nesse passeio:


1) Chopp é vivo, cerveja é 'morta', após pasteurização pra matar a levedura. Toda cerveja já foi chopp um dia.  'Cerveja' caseira, na verdade, é chopp.

2) Existe cerca 385 tipos de cerveja catalogados ao redor do mundo.

3) Diesel = metade cerveja e metade coca cola. (Provei no almoço da cervejaria Farol e gostei).

4) Radler = metade cerveja, metade Sprite.

 Leia mais: Rota cervejeira Gramado, 40 dicas para curtir a Serra Gaúcha, Uma semana na Serra Gaúcha, Roteiro na Serra Gaúcha, Roteiro na Serra Gaúcha de 3 dias, 4 dias na Serra Gaúcha, Inverno na Serra Gaúcha, Planejando sua viagem para Gramado, Gramado tamanho família, Gramado: roteiro de 3 dias, Matraqueando: post índice, Brocker turismo, Citral empresa de ônibus

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Dia 3 (parte 3): vinícola Miolo

Depois do almoço, fomos para a vinícola Miolo. Chovia muito, mas não atrapalhou o passeio em nada, pois o ônibus nos deixa lá dentro do pátio, bem na frente da entrada e a visita é toda coberta mesmo. Foi ótimo termos deixada para esse dia chuvoso. Deus no comando sempre!




Lá tivemos degustação de 4 vinhos:





Amei esse espumante demais da conta 
e foi esse que comprei para fazer o brinde do níver de mommy


Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Dia 3 (parte 2): Epopéia italiana

A epopéia italiana nos surpreendeu demais. (Não sei o preço porque tava incluída no pacote da Maria Fumaça). Fica a poucos metros da estação de Bento Gonçalves.



 A epopéia italiana conta a imigração desse povo para o sul do Brasil através da historia do casal . É um teatro interativo, com vídeos e um ator fazendo um monólogo. Não é nada chato, é super interessante e educativo.


Começa com um vídeo numa sala onde tem as vestimentas típicas dos povos que imigraram para o Sul. Depois do vídeo, andamos um pedaço pequeno e nos deparamos com o ator que continua contando a história e nos convida para embarcar no navio, o que nos faz sentir fazendo parte da viagem.

É tudo tão real, tem cascata, plantação de uva...

A vila tão bem feita, com as casas e a Igreja de Santo Antônio

Achei incrível essa parte

Chegamos ao final, onde tem a foto do casal Lázaro e Rosa 
e a mala que eles trouxeram está exposta numa redoma de vidro

Ao final, mais vinho para degustar
e dessa vez também teve uns deliciosos biscoitos

Saímos da epopéia e pegamos a estrada de novo, onde paramos no Del Filippe para almoçar, um restaurante de sequência, leia-se rodízio. É assim que chamam lá.

Apaixonada por essas flores de Outono



Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Dia 3 (parte 1): Maria Fumaça

Fizemos o passeio de Maria Fumaça com a Brocker turismo. Saímos cedinho do flat e foram 2 horas de ônibus até Carlos barbosa, onde pegamos o charmoso trem.



Carlos Barbosa é a cidade com melhor qualidade de vida do país, também conhecida como cidade da Tramontina, pois tem várias fábricas lá.


A estação é pequenina e fofa e tem a Igreja Nossa Senhora do Caravaggio em frente, e por coincidência, era dia dela (dia 26/05). Somos recepcionados com um show em italiano lindo, enquanto aguardamos para embarcar.



O passeio tem 20 km de percurso e a Maria Fumaça vai a uma velocidade de 20 a 30 km/h. Usa croquete, uma lenha ecológica obtida de restos da fábrica Tramontina, e 4 mil litros de água pluvial por passeio. 


A viagem de trem é um show incrível, onde tem várias atrações: show de música italiana, música gaúcha, coral... As pessoas levantam e dançam. Tudo de bom. 


Ao desembarcarmos nas estações, também tem mais shows. Além de degustação a vontade de vinhos, espumante e sucos de uva.


Nossa 1a. parada foi em Garibaldi, a cidade do espumante. E lá teve degustação do espumante Garibaldi, maravilhoso demais. Na cidade tem a festa do espumante.



Aproveitamos a parada para visitar o vagão 212, que preserva os bancos originais, e onde são gravadas novelas, minisséries e filmes.



Degustação de vinhos  e espumante Garibaldi

Escolhi essa casinha para morar. Que tal?


A 2a. e última parada foi em Bento Gonçalves, a capital brasileira do vinho, onde 79 vinícolas instaladas e 50% do vinho nacional é produzido ali. 


Nessa estação a degustação foi do vinho e suco de uva da Miolo, que eu já conhecia e adoro.


De lá, caminhamos para a Epopéia italiana, que é assunto para o próximo post.




Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα