Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Desafio Literário 2016 concluído



O objetivo do desafio era ler ao longo do ano os seguintes livros:


1) Que virou filme:


O quarto de Jack: li o livro e me apaixonei pelo fofo do Jack e fiquei doida pra ver o filme. Lembra um pouco o filme "A vida é bela", pois a mãe cria um mundo de fantasia, um mundo próprio pro Jack, ao mesmo tempo que  ensina a ele coisas para a vida. Lindo!!!

Sinopse: Joy (Brie Larson) e seu filho Jack (Jacob Tremblay) vivem isolados em um quarto. O único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick (Sean Bridgers), que os mantém em cativeiro. Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas não vê a hora de deixá-lo. Para tanto, elabora um plano em que, com a ajuda do filho, poderá enganar Nick e retornar à realidade.


2) Escolhido pela capa:


Neve na Primavera: Vera é uma moça pobre que se apaixona pelo rico Charles e engravida dele, em 1930. Daniel é fruto desse amor. Uma nevasca inesperada e o sumiço do pequeno Daniel aos 3 anos de idade devastam Vera para sempre. 80 anos depois, a neve cai novamente fora de época, na mesma data, e a repórter Claire investiga o caso curioso em busca de uma história pra o jornal da família do seu marido, Ethan, onde ela trabalha. Nesse meio tempo ela vai a Bainbridge Island, encontrar sua amiga de faculdade, Emily, que mora na ilha com Jack e sua tia Bee (os mesmos personagens de As violetas de março). Gente, é muito amor. Não consigo nem explicar. Livro maravilhoso demais. Está na lista dos meus favoritos.

Sinopse: Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

3) Escrito por uma mulher:

A casa das marés: Lottie foi criada pelos Holden como filha, na pacato cidade de Merham. Após Adeline e cia. se mudarem a misteriosa casa Arcádia, e com a posterior chegada de Guy (o noivo de Célia, sua quase irmã) sua vida nunca mais foi a mesma. Com a reforma da casa para virar um hotel, 50 anos depois, muitos sentimentos voltaram a tona. Incrível. Um dos melhores da Jojo. In love total.

Sinopse: Na década de 1950, uma cidade litorânea chamada Merham é dominada por uma série de regras sócias austeras. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali naquela cidade, mas Célia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar os limites de Merham.


4) Que você leu em um dia:

O que há de estranho em mim: mais um livro ótimo da Gayle, que devorei em um dia. Brit tocava n banda Clod e era apaixonada por Jed, até que foi levada pelo pai pra Red Hill, uma 'escola interna', e teve que deixar a banda para trás. Lá conheceu V, Martha, Bebe e Cassie; elas logo viraram amigas e se apoiaram e aprontaram juntas. Adorei!

Sinopse: Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.


5) Escrito por autor brasileiro:

Eu me possuo: Karina é uma mulher livre, com os pais rígidos demais e uma avó fofa que é sua melhor amiga e conselheira. Com a maturidade, ela entende que foi estuprada 6 anos atrás, mas na época achou que a culpa fosse sua. Até que reencontrou o estuprador e tremeu. Ao poder dizer umas verdades a ele e se sentiu aliviada por tudo aquilo que viveu. Livro bom, daqueles que se lê de uma vez só, mas poderia ser mais aprofundado. Mas é ótimo que qualquer adolescente pode ler e entender tudo e saber quando é estupro ou não. E que a culpa nunca é da vítima.

Sinopse: “O fato de eu ter me sentido atraída por você, ter ido a sua casa, ter desejado transar com você, não signi fica que você poderia me violentar. Desejar um homem não é o mesmo que desejar ser estuprada por ele. Você disse que tem ido ao meu bar a m de se desculpar por alguma má impressão que tenha deixado em mim. Você não deixou uma má impressão, Gustavo. Você cometeu um crime. Talvez agora você me pergunte por que eu não te denunciei já que você é um criminoso. Naquela noite, eu dei um nó no meu vestido para disfarçar o rasgo que você fez e me limpei como pude no elevador. Fiquei perambulando pela rua meio tonta, depois entrei num táxi e fui para casa da minha avó. Fui direto para o chuveiro limpar aquilo de mim. Me senti suja, me senti culpada, me senti inferior, me senti até ruim de cama: carreguei por muito tempo acusações que serviam para você, não para mim. Minha falta de experiência me fez acreditar que a culpa era minha, que eu apertei algum botão maldito em você e que talvez sexo fosse aquele horror mesmo. Por isso eu me mantive em silêncio. Mas meu corpo gritava!”


6) De um autor que você nunca leu antes:


Mar de Tranquilidade: Personagens imperfeitos, problemáticos, sofridos, apesar da adolescência. Nada clichê, maravilhoso demais. Impossível para de ler. Tá na lista dos favoritos.

Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.


7) Com um número no título:


12 anos de escravidão: Solomon era um homem livre, vivia em Nova Youk com sua esposa Anne e seus 3 filhos (Elizabeth, Margareth e Alonzo), quando, aos 30 anos de idade, foi drogado e sequestrado e vendido como escravo. Indo viver nas áreas pantanosas, trabalhou na colheita de algodão e, às vezes, na de cana de açúcar. Foi açoitado e viu muito sofrimento e companheiros de senzala morrer. Ele teve a sorte de contar com a ajuda de Bass, um homem branco que resolveu o ajudar e, 12/anos depois, ele.conseguiu voltar pra casa. Triste. Li intercalando com outros livros, para dar conta de tanta falta de humanidade.

Sinopse: A obra que originou o filme 12 Anos de Escravidão retrata a história de Solomon Northup, um homem negro nascido livre nos Estados Unidos, que após ter recebido uma falsa proposta de trabalho, foi sequestrado, drogado e comercializado como escravo, e passou doze anos em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão na Louisiana. Após seu resgate, Northup, com uma escrita simples e ágil, retrata os registros excepcionalmente vívidos e detalhados da vida de um escravo. Este é um dos poucos retratos da escravidão americana, redigido por alguém tão culto quanto Solomon Northup — uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo.



8) Com uma única palavra no título:

Tatuagem: pensei que fosse um livro teen fofo e me surpreendi. Ele é fofo, mas também tenso e surpreendente. Tem bullying, amor, romance, 1o. Beijo, 1a. Vez... Obsessão! Não dá pra falar muito pra não estragar a graça. Laura se apaixona por Jack, um tatuador ogro e fofo e muda de vida: ganha amigos, frequenta festas, se diverte, faz tatuagem...

Sinopse: Jack se aproximou de Laura. Não, não para tirar sarro dela, nem dizer como ela é esquisita e feia, mas para defendê-la desse pesadelo. Ela sabia que sua vida estava mudada para sempre, mas não imaginou, em nenhum momento, que mudaria de novo. Uma festa, um beijo recebido pela pessoa errada, um acidente que permitiu que Laura revivesse a consciência apenas três meses depois, numa cidade diferente, e toda sua antiga vida havia sido deixada para trás. Como ela poderia imaginar? Apesar de todos os avisos, como ela podia pensar que algo assim fosse acontecer? Ele sempre fora tão atencioso, se esforçava para ser melhor com ela, não queria machucá-la por nada nesse mundo. E então... Jack, o que aconteceu com você? Deixar pessoas para trás, continuar em frente, é um aprendizado. Laura tentou seguir com a vida dela, Jack deveria ter feito o mesmo.



9) Baseado em uma história real:


Não conte para a mamãe:Toni é uma mulher bem sucedida no trabalho e que vai para clínica onde sua mãe está internada com um câncer terminal passar os últimos dias com ela. No quarto de hospital ela relembra os momentos quando vivia como Antoinette, uma menina que foi abusada sexualmente pelo pai desde os 6 anos de idade até os 14. Sofria fortes ameaças do pai para não contar a mãe, que era conivente com a agressões físicas e moral que o pai fazia com a filha.  Relato tenso, triste, revoltante da autora, que viveu tudo isso de verdade. Reencontra o pai e co vive com os fantasmas do passado. Uau! Que livro! E nossa! Quanto preconceito a vítima sofre.

Sinopse: A frase que dá título ao livro de Toni Maguire, Não conte para a mamãe, poderia ser uma pacto ingênuo entre dois irmãos ou uma brincadeira entre crianças. Infelizmente, não é o caso. Na verdade, é a ameaça sofrida pela autora durante os quase dez anos em que foi violentada pelo próprio pai. Quando aconteceu pela primeira vez, a pequena e inocente Antoniette tinha apenas seis anos. Apesar da tenra idade, tudo ficou gravado em sua memória, o tempo nada dissipou: os detalhes, os sentimentos, a dor. Foi a primeira de muitas, incontáveis vezes. Não conte para a mamãe, de Toni Maguire, desvela a comovente história de um infância idílica que mascarava uma terrível verdade.



10) Com mais de 300 páginas:


Anexos:  Livro divertido, gosto de ler, não dá vontade de parar. E a torcida pra que Lincoln e Beth se conheçam, enfim, é grande. Fofo! Vale a pena ler.


Sinopse: Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas. Enquanto isso, Lincoln O'Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria...?


11) Publicado este ano:


Depois de você: Louisa Clark precisa seguir em frente, e ao cair do terraço do seu prédio, muita coisa muda. Ela é salva por Sam, um paramédico; volta para casa dos pais; trabalha num pub no aeroporto; entra para um grupo de apoio; conhece Lily, uma adolescente revoltada; se reaproxima dos pais de Will Traynor... E sua vida nunca mais foi a mesma. Tudo contado de um jeito carregado de emoção, como JoJo sabe fazer muito bem. Muito bom. Mas confesso que esperava saber sobre como Lou cumpriu as recomendações deixadas por Will, mas a história se passa 1 ano e meio depois da Dignitas.

Sinopse: Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.


12) Que se passe durante o Natal:


Ligações: há tempos eu não enrolava tanto pra ler um livro. Mas eu não sou abandonar e ainda bem que insisti nesse. Ele só me fisgou depois da pagina 200 (!!!), mas foi um bom livro. George conta o seu relacionamento com Neal através de ligações para o passado no telefone martelo. Uma pegada de volta para o futuro interessante, porém um pouco repetitiva. Mas depois que desenrola, flui bem.

Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura. Talvez sempre esteve em segundo plano. Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças. Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo. Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer… Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?


Quem fez? Conseguiu concluir?
Ano que vem tem mais desafio literário!
Aguardem.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

5 comentários:

Rô(QuerendoeAprendendo) disse...

Parabéns pelo desafio concluído, que 2017 consigamos concluir todos os nossos projetos, bjssss

Nana disse...

Passando para desejar um maravilhoso 2017 cheio da presença de Deus, paz, amor, alegria e tudo de melhor!
Bj e fk c Deus
Nana
http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

Jennifer Gama disse...

Eu parei no caminho...Me orgulho de voce parabéns desafio cumprido!

Jennifer Gama disse...

Vamos voltar com o desafio gramas da vez, agora sera diferente,
fiz um post lá no blog http://www.jennigama.com.br/2017/01/desafio-gramas-da-vez-retorno.html

Feliz 2017 cheio de conquistas!!!

Bruxa do 203 disse...

O Quarto de Jack foi um dos meus filmes preferidos no ano passado. Vou esperar um pouco para ler o livro.

Ultimamente ando sem disciplina para seguir um desafio, mas adoro acompanhar!