Páginas

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Pilates

Estava desanimada de academia, sem tempo e disposição, mas não gosto de ficar sedentária, daí resolvi buscar algo mais personalizado e fui tentar a sorte no pilates. E acertei em cheio! Tô amando e tô empolgada, além de estar vendo resultados tanto na postura quanto no corpo. E eu pensava que fosse mais light, só que tô bem doloridinha nos músculos. aquela dor gostosa. Adoroooo!!!!

Achei esse texto da Martha Medeiros, que adoro e resolvi compartilhar, porque é bem assim. E olha que ainda vou completar um mês de atividade. Mas já é uma das minhas preferidas.




Reconciliando-se com o próprio corpo

Por Martha Medeiros
Jornal ZERO HORA – 10/04/2013
Pratico exercícios desde sempre. Já dancei jazz, nadei, joguei vôlei, fiz aeróbica, musculação, mas nada disso me tornou uma amante da vida esportiva. O que me levava a essa movimentação intensa era a consciência de que manter uma atividade física enrijece o corpo e oxigena a mente, então eu ia em frente sem pensar em prazer. Era uma necessidade, e pronto.
Aos poucos, fui largando tudo e mantive apenas as caminhadas, essas, sim, não apenas saudáveis, como prazerosas. Poderia passar o dia caminhando, não tivesse que reservar um tempo para exercícios cerebrais, como trabalhar e fazer palavras cruzadas.
Parecia tudo bem, até que uma médica me disse: caminhar é bom, mas não basta. Está na hora de você suar o top. E me recomendou pilates.
Quanto ao tédio, bom, não há tédio na dor. Às vezes, me sinto como se estivesse treinando para me apresentar no Cirque du Soleil. Recebo ordens inimagináveis: grude o umbigo nas costas, encolha as costelas, encoste o queixo no peito. Já houve caso de instruírem um rapaz a contrair o útero! Dá vontade de rir, mas não convém, temos que nos concentrar na respiração. Juro, com tudo isso, ainda pedem que a gente respire.Modismo, chatice, tédio. Todas essas ideias me passaram pela cabeça, mas sou obediente, acato ordens, e me matriculei num pequeno estúdio a poucos passos da minha casa, conduzido por um casal de instrutores. Fui cair na mão dos melhores, posso apostar. Em três sessões, já percebia mudanças no meu corpo, na minha postura.
Então, de volta aos exercícios sem prazer?
Pois aí está a novidade: o prazer é de outra ordem. O pilates faz a gente mudar a maneira de pensar o corpo, o que deve ser a razão do seu sucesso mundo afora. Ao decidir praticar um exercício, muitas vezes ficamos condicionados aos benefícios externos de se estar em forma: a saúde é uma boa desculpa, mas a vaidade é que nos faz pagar a mensalidade da academia. Pois o pilates supera essa visão miúda, adicionando à prática uma reflexão que vai muito além do desejo de ser admirado.
Quando somos adolescentes, sentimos nosso corpo como parte indissolúvel do nosso ser. Porém, com o passar do tempo, acaba acontecendo uma dissociação – à revelia, nosso corpo começa a nos abandonar, a nos deixar na mão. A pele vai se soltando, os órgãos internos armam rebeliões, as articulações gritam, rangem – não me peça para explicar, mas nosso corpo ganha vida própria, se emancipa e não nos escuta mais.
O pilates é, antes de tudo, uma reconciliação com esse corpo que se tornou rebelde e fugidio. Ele sempre esteve a nosso serviço, mas pouco estivemos a serviço dele. Pois o pilates, feito um cupido, faz com que nós e nosso corpo passemos a nos conhecer mais profundamente e a descobrir o que nem sabíamos um do outro, mesmo com tantos anos de convívio.
Basicamente, pilates é o resgate do amor entre você e o que você traz dentro. Mesmo que seja um útero que você nem tem.´


Beijosssssssssssssssss
┌──»ʍi૮ђα

9 comentários:

Sabrina Mix disse...

Que legal, Micha!

Estou seriamente pensando em fazer pilates e caminhada depois da minha "reabilitação".

#chegalogojulho

Beijos e sucesso!!!

Rachel disse...

Oi Micha, que legal vc estar fazendo Pilates!!! Um dia quero tentar!!! Amei o texto da Martha!!! Acho que foi uma excelente escolha!!! Um bjo e lindo findi

Carla Renata Galassi disse...

eu meio ke "embucetei" com AF... kem sabe um dia desempaco. oremos..rs.. bjokas lindeza e sucesso no pilates.

Karina disse...

Oi Micha!

Faço Mat Pilates a 2 anos e amo!!! No começo achei que não iria ficar, pois era tudo muito devagar, movimentos controlados... Mas a professora me disse q era isso que eu precisava: Diminuir meu ritmo!!! E não é que era verdade?! Minha postura melhorou, estou mais controlada psicologicamente e qualquer atividade que eu faça inclusive na musculação presto muita atenção na postura! Consegui ótimos resultados como equilibrio e fortaleceu músculos q nem sabia q existiam!!! rsrs E o bom que no Mat Pilates, cada aula é diferente por conta dos acessórios diferentes!

Bjos e boa semana!

PS: Espero que passe a amar como eu amo o Pilates!

Fabi Lange Brandes disse...

eu não conseguiria pilates não é pra mim
beijos

Anônimo disse...

olha eu fiz uma sessão lá na academia tem eu tenho problema na coluna gostei só que este negócio respira, respira puxa o ar solta o ar me deixou um pouco tonta tbm deve ser falta de costuma mais não é fácil não vou fazer novamente para ver bjs

Lulu disse...

Nunca fiz, mas todo mundo que faz ama Pilates.
Big Beijos

Ana Paula disse...

Oi...
Adorei seu blog. Me identifiquei muito!
Quando quiser, dá uma passadinha no meu... tô te seguindo!
Bjoooooo
http://mamaequetrabalha.blogspot.com.br/

Fernanda Fusco disse...

Fiz aula de pilates com bola uma vez só na academia, e daí comprei a bola pra fazer aqui em casa (mas não é a mesma coisa).