segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Retrospectiva 2018



2018 foi intenso, de extremos de sentimentos. 

Comecei o ano viajando para Salvador para um evento de capoeira; 

voltei de verdade pra capoeira, treinei muito, empolgada mas uma fratura no pé me afastou de novo; 

usei os 45 dias que fiquei de pernas pro ar, literalmente, para me conhecer melhor, investi em mim, fiz uns cursos online e aprendo a meditar e não me imagino sem a meditação na minha vida mais. 

Perdi um tio querido, vi meu pai bem menos do que queria; 

fui a dois shows do Pearl Jam (em SP e no Rio), curti muito minha família, meu marido e meu pretinho safado. 

Viajei com meu amor para Buenos Aires, passamos dias deliciosos na terra do dulce e leche. 

Abri os olhos para muitas mentiras que me cercavam e me afastei de pessoas que se fingiam amigas, ganhei novos amigos, reencontrei amigos antigos. 

Teve eleições extremistas e as pessoas mostraram sua verdadeira face (racista, preconceituosa, elitista, homofóbica e misógina), máscaras caíram, porém me orgulhei de tantas pessoas de luta, e vamos entrar 2019 de mãos dadas, porque ninguém solta a mão de ninguém.

 


Beijossss


segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Então é Natal...



❝Cada vez que duas pessoas se entendem e se perdoam, é Natal.
Cada vez que você mostra paciência com quem convives, é Natal.
 Cada vez que você ajuda uma pessoa, é Natal. Cada vez que alguém decide ser honesto em tudo o que faz, é Natal.
 Cada vez que nasce uma criança, é natal...



 Cada vez que se respeita e se auxilia um idoso, é Natal.
 Cada vez que duas pessoas se amam com um amor limpo, profundo e sincero, é Natal.
 Cada vez que você olhar alguém com os olhos do coração, sem julgamentos ou críticas, é Natal.
 Cada vez que alguém socorre e devolve dignidade a um animalzinho, é Natal.



Cada vez que vc divide o pão da sua mesa, é Natal.
 Cada vez que se demonstra amor ao próximo, é Natal.
 Cada vez que vc faz uma reforma íntima e procura dar conteúdo novo a sua vida, é Natal."



 PORQUE NATAL é Amor todo dia.
Paz todo dia.
Caridade todo dia.
Justiça, todo dia.
 Compreensão todo dia.
Respeito todo dia.
Autoamor todo dia.
Ação positiva todo dia.
Amor à vida, todo dia.....



 ....e é a partir dessas atitudes que nasce a Esperança
nasce a Alegria
nasce a paz....



 Nunca será um verdadeiro Natal enquanto comemorarmos apenas 01 noite com amor e nos esquecermos e nos desrespeitarmos o resto do ano!!



 Feliz Natal! Muita paz e bênçãos.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

15 anos juntos (9 casados)

E eu que pensava 
Que mão dada mão era nada 
Mas mão dada é tudo 
Ou quase tudo 💜 

15 anos de mãos dadas, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na ralação do dia a dia, até que a morte nos separe. Ninguém solta a mão de ninguém! 👫



 9 Anos – Bodas de Cerâmica

A cerâmica representa esta boda por ser um material simultaneamente resistente e delicado. O casamento com nove anos já possui esta característica de resistência, mas deve ser manuseado com carinho, para assim como a cerâmica, prevalecer na história.




Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Revistas


Fui assinante da Nova Cosmopolitan por muitos anos, 21 pra ser mais exata. Sim, assinei em 1997 e não parei mais. Fique muito triste quando vi esse comunicado no instagram da revista. E eu tinha acabado de renovar a assinatura, já tinha pago 3 mensalidades.



Aí entrei no insta da Boa Forma, que assinei por uns 18 ou 19 anos também (atualmente eu não era assinante mais), e vi que também foi encerrada:



Depois de alguns anos, comprei a Boa Forma, por ser a ultima também, e me surpreendi com um conteúdo mais tranquilo e capa sem prometer perda de peso. Aliás, a capa não prometia dieta ou exercício da famosa. Pena que só vi a mudança já na última edição.



Leia o índice e o editorial para ver a mudança:




Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Livros e Filmes: Novembro 2018



Estremecendo as paredes (Mai Tai'd Up - Cocktail#4): Chloe desiste de casar com Charles no dia do casamento e se muda para um sítio da família em Monterey. Lá, ela realiza o sonho de trabalhar com pitbulls resgatados no projeto batutinhas e conhece Lucas, o veterinário parceiro do projeto. Nasce uma amizade e algo mais. Divertido, leve, gostoso de ler, como todosnos livros da Alice Clayton.

Sinopse: A ex-Miss Golden State Chloe Patterson foi criada para ser a imagem da perfeição: sempre linda, sempre empertigada, sempre sorrindo e assentindo, jamais falando palavrão. E ela estava prestes a dar o próximo passo nessa vida de comercial de margarina: casar-se com um dos advogados mais bem-sucedidos do sul da Califórnia, um homem de grandes dotes (ou não). No entanto, desde a visita a seu primo Clark em Mendocino – quando presenciou as faíscas entre ele e Viv –, Chloe começou a colocar em xeque seu relacionamento com Charles. Faltava fogo. Talvez faltasse até mesmo amor. Depois de literalmente abandonar o noivo no altar, Chloe decide passar um tempo na fazenda da família em Monterey. Longe das intermináveis regras impostas por sua controladora mãe, ela se vê diante de algo inédito em sua vida: opções. Mas será que ela saberá tomar as decisões certas diante dessas novas possibilidades? Ao receber um e-mail de um velho amigo, Chloe resolve seguir um antigo sonho: trabalhar com pit-bulls resgatados, num abrigo totalmente administrado por ela, ali mesmo em Monterey. E, para tirar os planos do papel, ela contará com a ajuda de Lucas, um veterinário com lindos olhos azuis e cabelos ruivos de dar inveja ao príncipe Harry. A atração entre eles é instantânea e a convivência, descomplicada desde o início. Mas o recente passado amoroso de ambos e os planos de Lucas para o futuro próximo parecem fazer do veterinário o cara certo no momento errado. Em meio aos desafios impostos pelo abrigo e às próprias questões mal resolvidas com a mãe, Chloe terá de fazer mais uma escolha, talvez a mais importante – e antes que seja tarde demais.

Contra as paredes (Last Call - Cocktail #4.5): O final da série volta aos personagens iniciais, Caroline e Simon, e tema a participação de personagens de outros livros, como Lucas e Chloe. Os casais estão consolidados, dando passos a mais na relação, e Simon pede Caroline em casamento. Livro rapidinho, divertido, leve, gostoso de ler, como todos os livros da Alice Clayton, que soube fechar a serie muito bem. E o fim deixa uma brecha para um spin off.

Sinopse: Tremores, suor excessivo, tontura, calafrios, confusão mental, pensamentos aleatórios sobre o destino inescapável das ondas… Tudo isso por causa de uma mera indagação: quando Caroline e Simon vão se casar? Ultimamente, o tema casamento parece estar perseguindo a nossa Garota do Baby-Doll Cor-de-Rosa, que não está sabendo lidar com isso. Ao se dar conta de que ela e seus amigos estão entrando em uma nova fase da vida – com Mimi e Ryan se casando, Sophia e Neil construindo seu (populoso) ninho e ela própria encontrando o equilíbrio perfeito entre o trabalho e o lar –, Caroline é acometida por uma questão que a deixa desnorteada: o casamento é o próximo passo natural para ela e Simon? O destino inevitável para os dois? Ou não se deve mexer em time que está ganhando? Afinal, o relacionamento deles sempre foi fácil e descomplicado, apesar do arranjo peculiar. Talvez esse mesmo destino ofereça a resposta através de um telefonema sinistro que fará Caroline se perguntar, de uma maneira mais real do que ela gostaria, se aceita Simon até que a morte os separe. Nesta última aventura da gangue do Trepador de Paredes e da Garota do Baby-Doll Cor-de-Rosa, não faltam emoções, risadas e uma boa dose de picância. E não, não estamos falando de tempero (uhum ). Um final com o selo Clive de aprovação.


Cipreste Triste: sou suspeita porque amo Agatha Christie demais, paixão da adolescência e que gerou minha loucura por ler. Esse foi pro desafio literário, um livro com mais de 50 anos. Esse é com o figuraça do Poirot, que eu adoro. Mais um final de semana daqueles que não dá para descobrir o assassino. Bom demais!

Sinopse: A dona de uma mansão no interior da Inglaterra morre durante o sono, depois de padecer de uma longa doença. Enquanto a família ainda se recupera do golpe, uma jovem aparece morta nas redondezas. Quando a bela Elinor é incriminada mediante provas aparentemente irrefutáveis, Hercule Poirot é a única pessoa que pode provar sua inocência. Para chegar à verdade dos fatos, ele terá de travar um embate sem igual na justiça inglesa. Este é o primeiro romance de tribunal protagonizado pelo mais famoso personagem da Rainha do crime. Publicado em 1940, Cipreste triste foi escrito em plena Segunda Guerra Mundial, um período de intensa produção na carreira de Agatha Christie, que se tornaria um dos nomes mais célebres do século XX em matéria de histórias de tribunal imortalizadas no cinema.

Teoria C: Livro técnico de linguagem simples, que pode ser lido por especialistas ou leigos. Bem explicado e exemplificado, o que facilita o entendimento. Renato Alvarenga foi meu professor de fisiologia do exercício na faculdade e o cara é fera no assunto e sabe explicar de modo que o aluno entenda, o que é essencial.

Sinopse: O livro Teoria C é uma pequena obra de 63 páginas, mas que apresenta informações científicas de fisiologia do exercício, com uma pitada de bom humor e simplicidade, descomplicando conceitos complexos.






Um amor verdadeiro (My boyfriend's dogs): vi na sessão da tarde e o que me prendeu foram os cachorrinhos logo no começo e gostei bastante. Bem legal.

Sinopse: Durante uma tarde chuvosa, Bailey (Erika Christensen) está vestida de noiva, rodeada por três cachorros e pedindo para entrar em um restaurante que acabou de fechar. Os donos do estabelecimento, Louie (Michael Kopsa) e Nikki (Joyce DeWitt), ficam surpresos e ela conta como chegou ali. A procura do homem certo, ela nunca teve sorte no amor, mas acabou herdando os cachorros dos seus últimos namorados. Louie e Nikki ajudam Bailey a entender sua vida amorosa e a perceber que o que ela procura está diante dela.

Um amor à altura (Un homme à la hauteur): achei interessante e assisti, divertido, leve. Bem sessão da tarde mesmo.

Sinopse: Um dia, a advogada Diane (Virginie Efira) perde seu telefone celular, mas logo recebe a ligação de um desconhecido, Alexandre (Jean Dujardin), que encontrou o aparelho e quer devolvê-lo. Quando se encontram, Diane tem uma surpresa: o homem tão simpático ao telefone tem apenas 1,36m. Os dois continuam a se encontrar, e logo se apaixonam, mas ela não está pronta para lidar com o preconceito de namorar um homem tão baixo.



Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Felicidade nas pequenas coisas

Ganhei sorteio de uma comida vegana no instagram de um restaurante aqui pertinho de casa. Marido está virando vegano e vi o sorteio e me inscrevi pensando nele, e não é que ganhei? Cara, pensa numa comida gostosa de verdade. Era panqueca sabor portuguesa, e o queijo e presunto pareciam de verdade. Sem falar que o molho era espetacular. Ainda tomamos uma cerveja artesanal deliciosa com o nome de uma praia que amo muito.




Começou o horário de verão e uma curiosidade é que eu tenho 2 relógios que intercalo ao longo do ano conforme o horário. O com horário de verão é meu xodó, apesar de estar bem velhinho e feinho. Comprei quando comecei a dar aula e um relógio digital facilitaria muito minha vida, e lá se vão 17-18 anos.




Ah, cismei de comprar uma bike, to precisando me exercitar mais, sem falar que amo andar de bicicleta e há anos não fazia isso. Pesquise bike, pesquisei preços e comprei uma no mercado Extra e tô amando. Foi tão legal que quando voltei do cicle pedalando, enfim, fiquei tão feliz e me toquei que fiquei muito mais feliz ao comprar a bicicleta do que quando comprei o carro, há 2 anos (sem desmerecê-lo, que adianta muito minha vida para ir trabalhar, mas eu amo mesmo andar de bike). Pena que trabalho tão longe (80km de casa), amaria poder ir de bike para o trabalho.

E me matriculei numa academia que é antiga no bairro, mas fica mais longe de casa e é uma área que nunca vou, e amei. Estou fazendo natação e hidroginástica lá e amando demais. Anos que eu não nadava e não é que nadei os 4 estilos? Claro que falta folego, mas não perdi a técnica, isso é ótimo. E a hidro é bem divertida, com muitas senhoras e alguns senhores, tô curtindo.





E no fim de semana passado rolou uma feira vegana aqui no bairro e eu e Con fomos nos dois dias (sábado e domingo). Sendo que no domingo encontrei minhas amigas amadas Advi e Ju (quem é antiga aqui lembra delas, que eram blogueiras e nos conhecemos por aqui e é amizade pra vida toda). Fiz um curso de plantio e cultivo de cactos e suculentas e gostei. Ganhei a que eu plantei e fiquei toda feliz. Passei uma tarde e noite muito feliz com amigos, sobrinho, irmãos, colegas...








Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Livros e Filmes: Outubro 2018





Ansiedade: Demorei mais de 1 mês pra ler esse livro porque não me prendeu, duvidei dele por momentos devido a muita autopromoção do autor (eu fiz, eu criei, eu inventei, eu, eu, eu...), mas não sou de desistir e fui lendo. Do capítulo 10 pra lá curti e fez muito sentido pra mim. Se eu soubesse, teria lido do 10 em diante.

Sinopse: Você sofre por antecipação? Acorda cansado? Não tolera trabalhar com pessoas lentas? Tem dores de cabeça ou muscular? Esquece-se das coisas com facilidade? Se você respondeu "sim" a alguma dessas questões, é bem provável que sofra da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Considerada pelo psiquiatra Augusto Cury como o novo mal do século, suplantando a depressão, ela acomete grande parte da população mundial. Neste livro, você entenderá como funciona a mente humana para ser capaz de desacelerar seu pensamento, gerir sua emoção de maneira eficaz e resgatar sua qualidade de vida.


Par perfeito: Alice é casamenteira na agência Par Perfeito, cuja dona, Audrey, ostenta um 'casamento perfeito' com John e pega no pé dela por tudo. Kate se inscreve na agencia em.busca de um amor. Sua amiga, Lou, é contra e só quer saber de curtir a vida. No evento anual de casamenteiras, Alice conhece John e ele se apaixona por ela. Muitas confusões, desencontros e risadas. Dividida por capítulos de personagens, a história se entrelaça muito bem, é leve, divertida. Gostei.

Sinopse: Alice Brown, é o que antigamente se chamava de casamenteira, uma profissional especializada em encontrar a tão sonhada “outra metade da laranja”, o amor da sua vida, o fogo e a paixão. Alice passa os dias ajudando mulheres a se apaixonar loucamente. Suas clientes, e… ELA TAMBÉM, é claro, estão ansiosas para conhecer um príncipe encantado. Kate, está a exatos 569 dias de fazer 35 anos e há exatos 5 anos atrasada nessa missão de vida. A dificuldade é que seu, digamos, padrão, está fora dos padrões. Desesperada, isso mesmo, desesperada para encontrar aquele gato, lindo, perfeito, romântico, carinhoso, bom de cama, atencioso, gostosão, charmoso, UFFFFFFA, ela sabe que sua última esperança recai sobre Alice. Enquanto isso, a própria Alice está tendo probleminhas para lidar com seu chefe, e problemaços para parar de se apaixonar pelo homem alheio. E se nada der certo? E se ela falhar com Kate? E se, ela mesma, estiver precisando de uma ajudinha profissional?


Gus: Quando soube que tinha continuação de 'Raio de Sol', pirei. Consegui baixar (não foi publicado no Brasil ainda) e li. Narrado por Gus, pós Kate 'bright side'. Agora Rook é uma banda de sucesso, fazendo turnê na Europa e mostra o recomeço de Gus. Amei tanto, não queria parar de ler. Queria filme dos dois livros.

Sinopse: Esta é a história de Gus. Perdendo-se. Encontrando-se. E a cura ao longo do caminho. "... Mas a verdade honesta de Deus é que eu nem sei como funcionar mais. Bright Side não era apenas a minha melhor amiga ela era como minha outra metade... a outra metade do meu cérebro, a outra metade da minha consciência, a outra metade do meu senso de humor, a outra metade da minha criatividade, a outra metade do meu coração. Como você volta a fazer o que fazia antes, quando sua outra metade se foi para sempre?"

O milagre (Jeremy Marsh e Lexie Darnell #1): Jeremy escreve sobre ciência para revistas, em Nova Iorque, onde mora. Ele viaja para Boone Creek, uma cidade pequena no Sul, a fim de investigar um caso fantasmagórico de luzes que aparecem no cemitério local, onde acaba conhecendo Lexie, a bibliotecária, que o ajuda com a pesquisa do caso. Os dois são ressabiados quando o assunto é amor, mas o i evitável acontece e eles tem que se virar para lidar com os medos e a distância que existe entre eles. Fiquei o pasma que é o primeiro livro do Nicholas que derrubem uma lagrima sequer. Ele foi bonzinho nesse. 

Sinopse: Vestido de preto da cabeça aos pés e com a aparência de alguém sempre pronto para ir a um velório, Jeremy Marsh reflete em seu estilo uma forte vocação para encarar a vida de uma forma racional. Badalado pela mídia, respeitado pela comunidade científica, aos 37 anos o jornalista assina uma coluna na prestigiosa revista Scientific American - sem, contudo, emplacar um relacionamento feliz. A saída que Jeremy encontra para exorcizar o fantasma de um casamento desfeito é negar a existência de outros tipos de fantasmas: aqueles que arrastam correntes e aparecem sob lençóis. Seu trabalho como freelancer já o fez viajar pelo mundo à cata de lendas urbanas como a do monstro de Losh Ness. Por isso, não se surpreende ao receber a carta de Dori McClellan, uma senhora com poderes divinatórios que o convida a investigar as misteriosas luzes de Cedar Creek, um antigo cemitério de escravos que teria sido alvo de uma maldição. Acionando seu agente e um cameraman tatuado e beberrão, Jeremy deixa Nova Iorque e parte em direção ao sul dos Estados Unidos. Essa é a terra da sofrida Lexie Darnell - alguém que longe de ser uma mocinha ingênua do interior, se mostra vacinada contra os avanços de qualquer conquistador da cidade grande. Mas será que um forte sentimento pode ultrapassar as fronteiras que separam a fé da descrença?

À Primeira Vista (Jeremy Marsh e Lexie Darnell #2) : como é continuação, acaba sendo spoiler, então não vou falar muito. Só que tio Nick tinha sido muito bonzinho no anterior e nesse ele arranca nossas lágrimas.

Sinopse: Jeremy Marsh tinha três certezas: jamais se mudaria de Nova York, não se apaixonaria novamente e nunca teria filhos. Mas agora ele está prestes a se casar com Lexie Darnell e aguarda a chegada da primeira filha, enquanto conduz a reforma de sua nova casa na pequena cidade de Boone Creek, na Carolina do Norte. Em meio a tantas mudanças, Jeremy luta para reencontrar o equilíbrio pessoal e profissional ao lado da mulher que o fez mudar todos os seus planos. Quando tudo parece estar entrando nos eixos, Jeremy recebe um misterioso e-mail que dá início a uma série de acontecimentos que irão testar a força dessa paixão. Atormentado pela ideia de estar sendo traído, vivendo uma crise criativa que o impede de trabalhar e angustiado com a gestação complicada de Lexie, ele não poderia imaginar que o pior – e o melhor – ainda estava por vir. À primeira vista captura toda a incerteza, a tensão e a angústia da vida desse jovem casal, mas também retrata o romantismo, o companheirismo, a descoberta e o amadurecimento que só o verdadeiro amor pode proporcionar.



Doidão: Doidão conta a história de Zé,muito conhecido como Zezé, de 'Meu pé de laranja lima', dos 17 aos 20 anos. Ele está tendo uma relação mais próxima com o pai, em.busca de emprego, se apaixona. Leitura boa, muito rápida, faz-se em menos de 2 horas. Após ler, soube que é o terceiro sobre Zezé, que tem um livro anterior, sobre a adolescência dele.

Sinopse: O pequeno Zezé de Meu Pé de Laranja Lima agora tem quase 20 anos e vive a procura de si mesmo, porém só consegue escandalizar a cidade e ser visto como um vagabundo.



Tonico: Tonico tem 14 anos, perde o pai e vira 'o homem da casa', precisando trabalhar para ajudar a mãe e a avó, enquanto suas duas irmãs vão morar na casa do tio Bio, que vir a um conselheiro para ele. Bem realista, porem fora da minha realidade. Apesar de ser um livro infanto-juvenil, de leitura fácil e rápida (coisa de poucas horas), tem muito a ensinar. Já quero reler a continuação 'Tonico e Carniça'. A série vagalume faz parte da minha infância e quero reler todos que puder.

Sinopse: Pobre e órfão de pai, Tonico sonha com uma vida independente e começa a trabalhar como engraxate, percorrendo as ruas com o amigo Carniça.

Se eu pudesse viver minha vida novamente...: Autobiografia se Rubem Alves, grande escritor brasileiro, nascido em Minas Gerais. Amo biografias e essa e é deliciosa de ler, em poucas horas se faz isso. Ele vai entremeado lembranças da sua vida com grandes poetas e escritores e fica uma coisa muito boa de se ler. Primeiro livro que li pro Projeto Lendo o Brasil (ler um livro de cada Estado e do DF). Minas muito bem representada.

Sinopse: Em 'Se eu pudesse viver minha vida novamente...', Rubem Alves viaja no tempo e no espaço e lança o olhar sobre os sonhos, sobre as perdas e ganhos, detendo-se nos pequenos detalhes que fazem toda a diferença, recorrendo a memórias ora felizes ora dolorosas, quase sempre com um toque de nostalgia que não é arrependimento, mas sim uma saudade gostosa de algo vivido em plenitude. É assim, com extrema delicadeza, que o autor chega ao coração e à mente do leitor, despertando-o para o agora, acordando um desejo de viver de forma diferente, de aproveitar cada instante, de valorizar cada minuto.

Contando a canção: Não sou muito fã de contos, mas quando envolve músicas que eu amo, abro uma exceção para ler. 10 contos baseados em musicas e curti bastante. Linguagem fácil, para ler em 1 hora. Recomendo!

Sinopse: Você já ouviu uma canção e imaginou-a como uma história, ou melhor, como um livro ou filme?! Se a resposta é SIM, então temos algo em comum. E foi pensando nisso que me dediquei a escrever contos inspirados em canções. Dentre a diversidade de letras, apresento-lhes — CONTANDO A CANÇÃO — um livro com dez pequenos contos do gênero Pop/Rock. A ideia é levar a você, querido leitor, entretenimento musical de uma outra forma, dando sentido (sobre o meu ponto de vista), para algumas canções que adornam a minha playlist. Como diria o grande filósofo, escritor e poeta — Friedrich Nietzsche: “Sem a música, a vida seria um erro”. Bem-vindo ao universo da vívida partitura!!!





Querido companheiro (Darling Companion): vi na sessão da tarde e logo me apeguei, não posso ver um cachorro que já amo. 

Sinopse: Beth (Diane Keaton) e sua filha Grace (Elisabeth Moss) salvam um cão perdido no acostamento de uma estrada. Joseph (Kevin Kline), marido de Beth, odeia o animal, agora a principal companhia da esposa. Um casamento é realizado na casa de férias da família e Joseph acaba perdendo o cachorro. Beth se recusa a voltar sem ele e os convidados remanescentes são obrigados a se empenhar na busca.



Chá com Mussolini (Tea with Mussolini): tava pesquisando filmes sobre fascismo, achei uma lista deles, porém todos antigos e difíceis de achar. Encontrei esse no youtube (com legenda em português) e gostei bastante. Apesar de uma época bem conturbada na Itália, mostra um lado artístico, com mulheres fortes e determinadas. Gostei muito mesmo.

Sinopse: Luca Innocenti um garoto nascido fora dos laços do matrimônio e não-reconhecido oficialmente por seu pai, que luta por sua independência e para achar um meio onde possa desenvolver seu apreço pela arte. Os anos seguintes são uma evocação de um mundo desaparecido: o da quieta cidade de Florença beira da Segunda Guerra Mundial. Neles estão Arabella (Judi Dench), Mary (Joan Plowright) e Hester (Maggie Smith), que retratam o excêntrico, colorido e legado das senhoras britânicas e que, juntamente com uma colecionadora de arte americana (Cher) e uma arqueologista (Lily Tomlin), dividem seu tempo em debates sobre a situação do país em plena Era Mussolini.

Jogada certa (Just Wright): amo filme de esportes, amo filme de basquete e esse foi muito bom. Adorei ver!

Sinopse: Leslie Wright (Queen Latifah) é uma fisioterapeuta que não consegue namorar, já que os homens sempre a vêem como uma boa amiga. Fã de basquete, um dia ela tem como cliente um grande astro do esporte, Scott McKnight (Common). Ela passa a tratá-lo em tempo integral, iniciando um procedimento visando seu retorno às quadras, algo que muitos duvidam que vá acontecer. No meio deste processo, os dois percebem que há algo mais entre eles além do relacionamento entre médico e paciente.


Hereditário (Hereditary): uma colega postou no face dizendo que era um dos melhores filmes de terror que tinha visto nos últimos anos e corri pra ver na mesma hora (vi no popcorn time) e gostei, mas esperava mais pelo que ela falou. Mas vale a pena ver, sim. O melhor pra mim continua sendo "A chave mestra" (skeleton key).

Sinopse: Após a morte da reclusa avó, a família Graham começa a desvendar algumas coisas. Mesmo após a partida da matriarca, ela permanece como se fosse um sombra sobre a família, especialmente sobre a solitária neta adolescente, Charlie, por quem ela sempre manteve uma fascinação não usual. Com um crescente terror tomando conta da casa, a família explora lugares mais escuros para escapar do infeliz destino que herdaram.

Lady bird: tava querendo ver há tempos e me surpreendeu, melhor do que eu imaginava. Gostei bastante!

Sinopse: Christine McPherson (Saoirse Ronan) está no último ano do ensino médio e o que mais deseja é ir fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia firmemente rejeitada por sua mãe (Laurie Metcalf). Lady Bird, como a garota de forte personalidade exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto sua hora não chega, no entanto, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a progenitora.



Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα