Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2016

Livros e Filme: março



Ligações: há tempos eu não enrolava tanto pra ler um livro. Mas eu não sou abandonar e ainda bem que insisti nesse. Ele só me fisgou depois da pagina 200 (!!!), mas foi um bom livro. George conta o seu relacionamento com Neal através de ligações para o passado no telefone martelo. Uma pegada de volta para o futuro interessante, porém um pouco repetitiva. Mas depois que desenrola, flui bem.

Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura. Talvez sempre esteve em segundo plano. Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças. Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo. Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer… Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?


A Playlist de Hayden: Sam e Hayden são melhores amigos, geeks e sofrem bullying. Hayden se suicida e deixa um pendrive com músicas e um bilhete para Sam entender o que aconteceu. E, a partir daí, muitas coisas acontecem. Leitura gostosa, rápida, bem teen, daquelas que imagino um filme da sessão da tarde. Gostei bastante.

Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

As violetas de março: Uau! Não conseguir parar de ler até terminar. Lembra os livros da Jojo: passado e presente te se fundem de uma maneira divina. Emily vai visitar sua tia Bee em Bainbridge Island, e recebe um diário escrito em 1943, que conta sobre uma história da sua família, que é fascinante e linda. Lá, reencontra pessoas que fizeram parte dos verões da sua infância e conhece Jack, um lindo pintor. Não quero dar spoiler, então leia. Amei demais!!

Sinopse: Emily Taylor é uma mulher jovem e escritora de sucesso, mas não gosta muito de seu próprio livro. Também tem um casamento que parece ideal, no entanto ele acabará em divórcio.Sentindo que sua vida perdeu o propósito, Emily decide fazer as malas e passar um tempo em Bainbridge — a ilha onde morou quando menina — para tentar se reorganizar. Enquanto busca esquecer o ex-marido e, ao mesmo tempo, arrumar material para um novo — e mais verdadeiro — livro, um antigo colega de escola e o namorado proibido da adolescência tornam-se seus companheiros frequentes. Entretanto, o melhor parceiro de Emily será um diário da década de 1940, encontrado no fundo de uma gaveta. Com o diário em mãos, Emily sentirá o estranhamento e a comoção causados pela leitura de uma biografia misteriosa que envolve antigos habitantes da ilha e que tem muito a ver com sua própria história. Assim como as violetas que desabrocham fora de estação para mostrar que tudo é possível, a vida de Emily Taylor poderá tomar um rumo improvável e cheio de possibilidades. As Violetas de Março é um romance sobre a força do amor, sobre as peças que o destino prega e sobre como podemos ser felizes mesmo quando tudo parece conspirar contra a felicidade.

Neve na Primavera: Vera é uma moça pobre que se apaixona pelo rico Charles e engravida dele, em 1930. Daniel é fruto desse amor. Uma nevasca inesperada e o sumiço do pequeno Daniel aos 3 anos de idade devastam Vera para sempre. 80 anos depois, a neve cai novamente fora de época, na mesma data, e a repórter Claire investiga o caso curioso em busca de uma história pra o jornal da família do seu marido, Ethan, onde ela trabalha. Nesse meio tempo ela vai a Bainbridge Island, encontrar sua amiga de faculdade, Emily, que mora na ilha com Jack e sua tia Bee (os mesmos personagens de As violetas de março). Gente, é muito amor. Não consigo nem explicar. Livro maravilhoso demais. Está na lista dos meus favoritos.

Sinopse: Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

O bangalô: Anne está noiva e em dúvida sobre o seu amor. Kitty, sua amiga de infância se alistou para ser enfermeira na guerra e Anne decidiu fazer o mesmo, em busca de respostas paras suas incertezas na vida. Elas foram para Bora Bora, uma ilha paradisíaca e conheceu o soldado Wresty. O bangalô era o cantinho de amor dos dois em meio à guerra. Ao deixarem a ilha, cada um para o seu lado, suas vidas nunca mais foi a mesma. Uau! Que livro! Um dos meus favoritos e ver. Lindo de viver!

Sinopse: Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos. No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora. Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso. O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história. A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.



Um namorado de aluguel (Holliday Engagement): vi na sessão da tarde, e é um filme bem típico, previsível e eu adoro mesmo assim.

Sinopse: Hillary Burns passou toda a sua vida tentando conseguir a aprovação do seus pais. Entre uma das expectativas é achar o marido perfeito. É por isso que ela está tão feliz em seu relacionamento com o advogado Jason King, no qual vai apresentar pela primeira vez a sua família no feriado de Ação de Graças. Mas seu mundo parece desabar quando ela é demitida do seu emprego e seu promissor namorado resolve terminar a relação. Seguindo o conselho da sua melhor amiga, Hillary recorre a um site de namoro online para achar alguém que se passe por Jason. É quando ela encontra David, um ator que fará o feriado decorrer de forma inesperada.



obs.: Se alguém aqui tiver skoob e quiser me adicionar, meu perfil é esse aqui.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quinta-feira, 24 de março de 2016

Autores preferidos: Lori Nelson Spielman


No primeiro livro que li, Lori já virou uma das minhas autoras favoritas, porque ela escreve de um jeito incrível. E o segundo só veio para confirmar. Super recomendo os dois livros.

Quando vi a indicação desse livro numa das revistas que leio, me interessei na hora e coloquei na minha extensa lista de livros para comprar/ler. Achei esses dias e comprei. Devorei! Que livro maravilhoso demais. Me identifiquei com algumas situações vividas pela personagem e resolvi até procurar itens não riscados das listas feitas nos últimos anos (geralmente coloco 10 itens pra fazer no início da agenda) e tentar fazê-los.

Sinopse: Brett Bohlinger parece ter tudo na vida — um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente. Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe — seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência. E vai descobrir que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados.


Doce perdão: Mais um livro maravilhoso da Lori Nelson Spielman e já virei fã da autora totalmente. Amei demais! Encantador, uma lição de amor e perdão. Mais um pra minha lista de favoritos.

Sinopse: Hannah Farr é uma personalidade de New Orleans. Apresentadora de TV, seu programa diário é adorado por milhares de fãs, e há dois anos ela namora o prefeito da cidade, Michael Payne. Mas sua vida, que parece tão certa, está prestes a ser abalada por duas pequenas pedras... As Pedras do Perdão viraram mania no país inteiro. O conceito é simples: envie duas pedras para alguém que você ofendeu ou maltratou. Se a pessoa lhe devolver uma delas, significa que você foi perdoado. Inofensivas no início, as Pedras do Perdão vão forçar Hannah a mergulhar de volta ao passado - o mesmo que ela cuidadosamente enterrou -, e todas as certezas de sua vida virão abaixo. Agora ela vai precisar ser forte para consertar os erros que cometeu, ou arriscar perder qualquer vislumbre de uma vida autêntica para sempre. Após o sucesso mundial de A lista de Brett, Lori Nelson Spielman retorna com este romance terno e esperto sobre nossas fraquezas tão humanas e a coragem necessária para perdoá-las - assim como para pedir perdão.


obs.: Se alguém aqui tiver skoob e quiser me adicionar, meu perfil é esse aqui.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

segunda-feira, 21 de março de 2016

St. Paddys Weekend

Sempre via comemorações de St. Patick's day, mas nunca tinha ido a nenhuma. Até que rolaram 2 maneiras no meu bairro nesse fim de semana e eu e amore resolvemos ir. E eu tava doida pra tomar o chopp verde (adoro uma novidade).



6a. fomos ao Lume, onde meu irmão trabalha. Tava rolando um show de músicas irlandesas super gostoso de ouvir, curti bastante. Matei a vontade de tomar o chopp verde (o gosto é igual, só tem o corante) e ganhamos um chapéu. Eeeeee!!! (Gente, adoro esses frufrus).



Sábado eu e amore fomos ao I Nikiti S2 Paddys, evento de food truck, com apresentação a banda Tailten, de música tradicional irlandesa; Gaita de Foles Pedro Arthur Cunningam; e luta viking grupo Myrrøx . Adoramos muito. Mas o chopp verde já tinha acabado e experimentamos umas cervejas artesanais por lá (quem vê pensa que bebo muito, que nada! eu provo mesmo. Sábado foram duas: IPA da Dead Dog e a larger da Hija de Punta).




E domingo ainda tinha, e resolvemos voltar, dessa vez com amigos. Teve uma banda de punkrock maneira, uma apresentação de dança, além da luta viking, gaita de foles e da banda Tailten. Dessa vez tinha chopp verde e tomei o do Quality e tomei a cerveja Amélia, que amei e repeti.






Evento muito bom e muito bem organizado, que deixou gostinho de quero mais.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

quarta-feira, 9 de março de 2016

Teatro: Clementina, cadê você?



Sábado rolou noite das meninas com irmã e amigas da capoeira. Fomos ao Teatro Municipal de Niterói assistir ao musical Clementina, cadê você?






A atriz que faz a Clementina arrasa, canta muito. Os outros 5 músicos e atores que compõem o elenco arrasam demais também. (Elenco: Ana Carbatti, Bruno Barreto, Bruno Quixote, Sergio Kauffmann, Vidal Assis e Wendel Bendelack).



Fonte das duas imagens acima: Facebook da peça

Peça gostosa de ver, divertida, emocionante... Difícil mesmo é ficar sentada assistindo, porque a vontade é levantar e sambar. Coisa que fizemos no final, quando aplaudimos de pé e começaram a cantar: "Não vadeia, Clementina..." E por esse vídeo curto que achei no youtube, em todo lugar é assim.



Depois demos uma esticadinha até um barzinho para comer e colocarmos o papo em dia. Bom demais!



Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα

domingo, 6 de março de 2016

O que rolou por aqui

Tempão que não posto nada específico sobre mim, a verdade é que fico dias e dias sem ligar o note, e não sei postar de celular. Até baixei o app do blogger, mas não me entendi com ele, e já desinstalei. Quando rola um tempo e disposição faço o post dos filmes e livros do mês e programo e é só o que tem rolado. Mas resolvi dar uma atualizada sobre o que anda rolando por aqui.

Voltei a trabalhar dia 1o. de fevereiro. Esse ano comecei numa escola nova, é um CIEP, bem maior e com muito mais alunos e funcionários do que todas as outras que já trabalhei, e tô gostando da novidade. É sempre bom mudar os ares e recomeçar.



Outra novidade é que optei por trabalhar todos os dias, ao invés de ter uma folga semanal, e foi a melhor coisa que fiz. Porque no CIEP, que é mais próximo de casa, vou 3x na semana de manhã, então almoço em casa, não levo marmita e passa rápido. E fico com o resto do dia pra resolver minha vida. Na escola que é mais distante, mantive os dias e horários: 3a. e 5a., manhã e parte da tarde. Chego em casa por volta das 18h, dependendo do trânsito, que anda o caos por conta das obras na Av. Brasil, mas tá sendo bom também.

UPDATE: Gente, rolando uma atualização com print e tudo. Não trabalho perto de casa, falei que é mais próximo. Até recorri ao google maps pra calcular a distância. Hahahha!Pro CIEP pego um só, direto. Pra outra escola, pego ônibus, ônibus e kombi. Desse jeito. Entre idas e vindas, percorro em torno de 361 km por semana (isso no cálculo via carro , mas eu vou de ônibus.).

 2a., 4a. e 6a.: média de 43km por dia (ida e volta)

3a. e 5a.: média de 116 km por dia (ida e volta)

No carnaval não rolou post nem empolgação. O calor já havia me desanimado totalmente, só iria a bloco se chovesse e refrescasse, o que não rolou. No sábado de carnaval, fomos tomar uma cerveja com uma amiga no trabalho do meu irmão.



E marido pegou zica, então aí que fiquei em casa mesmo. Amanheceu todo pintado no domingo e fomos pro posto do saúde. Só vi desfile das escolas de samba pela TV, aproveitei pra ler bastante e descansar também.

Livros lidos no carnaval




Após o carnaval, voltei a trabalhar, acordar mega cedo...
No mais é isso, sem maiores novidades.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα